Media & Direitos Humanos


Estive ontem todo o dia num workshop com o Javier e a Nina do Instituto de Periodismo Preventivo y Análisis Internacional.

E perguntam – e muito bem – vocês: “O que é o Jornalismo Preventivo?”

El periodismo preventivo es una disciplina periodística que pretende dotar a la opinión pública de elementos informativos que sean útiles para comprender el origen, desarrollo y finalización de situaciones clave, conflictos y crisis internacionales, destacando los esfuerzos para su resolución y haciendo visibles aspectos que permitan la prevención de situaciones similares en un momento posterior, a partir de la información realizada antes, durante y después del acontecimiento.

Estou fora de Lisboa e, por isso, não posso neste momento dar conta do que tomei nota. Garanto que o faço nos próximos dias.

Aproveitem para dar uma vista de olhos na revista do IPPAI.

O POLIS – iniciativa conjunta da London School of Economics e do London College of Communication – está a organizar para 22 de Março uma conferência sobre o tema, com grandes parcerias.

Em todo o mundo, mil jornalistas foram assassinados em trabalho nos últimos 10 anos.

Em média, duas mortes por semana, segundo este killing_the_messenger.pdf do Instituto Internacional para a Segurança da Imprensa.

Os cinco países mais mortíferos para jornalistas: Iraque, Benin, Indonésia, Filipinas, Colômbia.

A partir do meio-dia de hoje, Srebrenica, Darfour, où est la responsabilité?, um fórum do Le Monde aberto aos leitores.

[Obrigado Pim]

O tema vai estar em debate na Associação de Imprensa de Madrid.

Surveillance systems installed to fight crime and terrorism track us as we go about our lives. It may be too late to halt Big Brother.

Para ler na edição de hoje do Times.

Artigo de Eric Umansky na edição Setembro/Outubro da Columbia Journal Review sobre a cobertura jornalística das práticas de tortura.

Next Page »